A história de Diogo

Promova missões nas redes sociais
Capixaba testemunha sobre transformação que o poder de Cristo promoveu em sua vida

Mais que levar a mensagem de Cristo, o trabalho missionário significa a cura para corações despedaçados e vidas desperdiçadas. Após proferida, a Palavra de Deus fala diretamente a cada um e jamais retorna vazia. Para o Pai, todos são importantes, não importa o quanto acham ter pecado. Quando alguém se arrepende da antiga vida e aceita a Cristo como salvador, tudo é lavado, e essa pessoa está pronta para recomeçar.

E mais um fruto do evangelismo pode ser celebrado. Um desses frutos é José Diogo Andrade de Oliveira.

Nascido em Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Estado, Diogo, como é conhecido, hoje comemora a oportunidade de uma vida mais feliz com a família e os amigos. Membro da Missão Batista de Divino de São Lourenço, o jovem, de 29 anos, compartilha a sua história por onde passa. Seu testemunho é mais uma mostra da incrível mudança que Deus pode fazer na vida de quem O busca. “Há cerca de 15 anos, começou um período muito difícil de minha vida. Por influência de amigos, comecei a beber. A partir do álcool, logo cheguei a outras drogas: a maconha e a cocaína. Mas não apenas usava.

Achando que poderia dar uma vida melhor à minha família, passei a vender essas drogas. Achava que ficaria rico. Em 1999, deixei Divino de São Lourenço e fui para Minas Gerais.

Pensava em trabalhar, mas na verdade, só afundava mais e mais. Só colhi coisas ruins. Todo dinheiro que eu ganhava era rapidamente gasto em tudo que não prestava. Comecei a roubar todo tipo de coisa para manter o vício na bebida e nas drogas”.

Segundo ele, aquele tipo de vida o deixou mais violento também. “Lembro-me de um episódio em que estava no trânsito e um rapaz passou de moto e xingou a minha mãe. Fui atrás dele, quebrei sua moto. Creio que pensei em matá-lo, mas graças a Deus nada assim aconteceu naquele dia.

Em outra ocasião, chegaram a colocar uma arma na minha cabeça. Felizmente, também nada aconteceu. Eram sinais de que eu deveria mudar, mas eu não conseguia interpretar assim”.

Diogo lembra que aquela situação causava um grande sofrimento para a sua família. “Meus pais sofriam muito por eu estar levando aquele tipo de vida. Mas jamais desistiram de mim, e oravam para que Deus me salvasse. Já passei por muitos perigos, e nesses momentos, pedia que o Senhor me perdoasse. Mas não entendia o que Ele tinha para mim.

Voltei de Minas pior ainda. Estava com dinheiro e achava que era o dono de tudo, que podia tudo. Aquilo tinha tudo para acabar mal. Mas Deus tinha outros planos”, frisou.

A MUDANÇA

Diogo afirma, que nessa época, novas chances foram concedidas por Deus, mas ele ainda não estava preparado para notar. “Encontrei um amigo certa vez que me disse que estava na igreja. Eu falei que me alegrava por ele e que gostaria de também ter paz. Falava isso, mas não tomava atitude nenhuma”.

Mas as coisas mudariam um dia, enquanto o jovem estava em um bar, completamente embriagado. “Cinco jovens entraram e um deles veio em minha direção. Eu estava pensando que ele queria confusão e perguntei, já me preparando para a briga, o que ele queria ali. Então o jovem respondeu que  era seminarista e que estava ali para nos convidar para ir ao culto. Naquele momento, depois de tantos livramentos, percebi que era mais uma chance que Deus estava me dando. Chamei o seminarista para conversar e contei a ele de tudo o que aconteceu na minha vida. Como já eram 19h, ele me chamou para ir à igreja. Eu, tão sujo e bêbado, respondi que não estava em estado de ir à casa de Deus.

E então ele disse algo que nunca esquecerei: ‘Deus não se importa se você está sujo ou rasgado. Ele te ama e quer mudar a sua vida’. Aquilo tocou o meu coração”.

Finalmente na igreja, Diogo conta que sentiu algo diferente, uma serenidade jamais imaginada. Tudo mudaria a partir desse momento. “As pessoas não me julgavam ali, me senti acolhido. O pastor e os irmãos oraram por mim. E Deus promoveu algo naquele momento. Ele me transformou, me renovou. Minha relação com a família, com os amigos, tudo mudou. Foi uma decisão pela vida. Me manter longe de tudo aquilo que estragava minha vida não foi tão simples.

O efeito da droga é poderoso e dizer ‘chega’ não é fácil. Mas a diferença é que hoje tenho Jesus ao meu lado, para me dar a força que preciso para dizer não. E com a força dEle, hoje ver alguém bebendo é a mesma coisa que nada”.

Para o jovem, é possível perceber a mudança na sua vida nos olhos das outras pessoas. “Antigamente, chegava aos lugares e notava que as pessoas me olhavam desconfiadas, possivelmente imaginando o que um traficante estaria fazendo ali. Hoje é tudo diferente, tenho a luz de Deus em mim. Trabalho, conquisto meu dinheiro com o meu suor.


Chego em casa e posso deitar a cabeça no travesseiro e descansar. Aquele peso no coração desapareceu. Sou um homem melhor. Jesus me transformou. Quando falo de minha vida, gosto muito de citar Gálatas 6:14. ‘Mas eu me orgulharei somente da cruz do nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, por meio da cruz, o mundo está morto para mim, e eu estou morto para o mundo’”, finalizou.
>>

www.missoesestaduais.com

Campanha de Missões Estaduais 2015
O Espírito Santo Clama, quem responderá?

0 comentários:

Postar um comentário

 

MISSIONÁRIOS dos batistas capixabas

Copyright © 2015 Missões Estaduais
Ministério de Missões e Evangelismo
Convenção Batista do Estado do Espírito Santo
Coordenação do MEVAM por Pr. Keiny Moreira
Criação e marketing da campanha por Pr. Jullyander de Lacerda
Template distribuído Gratuitamente